CRIANÇAS DAS COMUNIDADES DO JORDÃO E CURUPAITI PARTICIPAM DO EVENTO ZICO 10 CAMP NO MARACANÃ.

Esporte também é Cultura

Por: Anderson Nascimento

Após 48 anos da primeira vez no Maracanã, foi hora do famoso Zico voltar a pôr os pés lá, mas de uma forma diferente. Levando mais que alegria e ousadia. Desta vez, esperança e comunhão entre crianças com o projeto “Zico 10 Camp”, que recebeu diversas crianças nos dias 06 e 07 de janeiro. O evento promoveu entusiasmo em cada uma delas.

O projeto recebeu crianças para um bate papo com o jogador que foi elogiado pela sua humildade e carinho com os pequenos. Sua equipe foi responsável por tudo, desde a segurança até alimentação. E durante o evento ocorrido no dia 6 e 7 de janeiro, eles conheceram as dependências do Estádio do Maracanã e puderam pisar no gramado. Além de ter um momento especial com o grande Zico.

Crianças de 7 a 14 anos puderam participar do evento. E o Grupo Cultura Urbana, Presidido por Fabrício Silvestre, compareceu levando seus meninos futuros grandes homens para aprenderem com o ícone do futebol brasileiro.

Entusiasmado, Erick Henrique disse que foi a maior experiência da vida. “O sonho de toda criança é jogar no Maracanã”, acrescentou e disse que espera conseguir realiza-lo. Já Cauã agradeceu pela oportunidade de ir ao maracanã e conhecer pessoalmente o Zico, além de aprender muito com ele. Enquanto Iago, percebeu o quanto esse trabalho foi bom e pode alcançar muitas outras crianças da sociedade para ter essa experiência com o jogador e conhecer o Estádio referência do Brasil.

Além dos pequenos, Zé Nascimento, como é conhecido na comunidade do Jordão por desenvolver voluntariamente um projeto esportivo para as crianças, ficou vislumbrado com a oportunidade de estar frente a frente com seu ídolo. Ele que jogou bola durante sua juventude, hoje recebe crianças do Jordão e Curupati para ensinar e compartilhar experiências. Para ele, o “Zico 10 Camp” possibilita um marco na vida das crianças. “Pisar no campo do Maraca, ver Zico de perto e poder ouvir a história dele é um grande privilégio que muitas crianças gostariam de ter. E nós pudemos viver isso com nossos meninos”, comemora ele.

“Embora seja tricolor, eu levei uma camisa do Flamengo para o Zico autografar, e com toda a humildade, ele deixou sua marca na camisa e em diversas chuteiras do projeto. Isso é exemplo”, acrescenta ele.

Confira as fotos do evento:

PÁGINA DO ÁLBUM

Compartilhe:
Tagged with: